O que é?

A colonoscopia é um exame que permite ao médico ver o intestino grosso por dentro, em tempo real. Permite, ainda, coletar “pedaços” (biópsias) de material para estudo anatomopatológico, ou retirar lesões suspeitas no próprio exame.

Para que serve?

A colonoscopia pode ser realizada tanto para investigação de doenças, quanto para prevenção do câncer colorretal.

Quando se fala em prevenção, o exame é indicado para todas as pessoas a partir dos 50 anos. Se houver casos de câncer colorretal na família, ou algumas doenças específicas, a idade do exame para prevenção diminui. É necessário avaliar cada caso em conjunto com seu médico.

O exame pode ser indicado por seu médico, ainda, para investigar doenças. Sangramento nas fezes, perda de peso involuntária, dor abdominal, muco ou pus nas fezes, alteração da frequência e/ou aparência das fezes podem ser algumas das indicações à realização do exame.

Como é feito?

Como o exame objetiva avaliar o intestino por dentro, é importante que não haja fezes, que podem prejudicar a visão do médico. Para isso, dieta sem fibra e laxativos são utilizados.

Após o preparo, realizado em casa, o paciente faz uma consulta com o médico anestesista, responsável pela sedação para o exame, permitindo um exame sem desconforto.

Para a realização do exame, após a sedação, o colonoscópio é introduzido pelo ânus (ou estoma) até que se percorra todo o intestino grosso, e eventualmente o final do intestino delgado. Caso alguma lesão seja encontrada, o médico procede ao registro em imagem e realiza ou remoção da mesma, ou biópsia.

É importante lembrar que a colonoscopia não é o melhor exame para avaliar doenças anorretais: as doenças de canal anal e ânus podem ser melhor avaliadas por uma anuscopia.

Quais os riscos?

As complicações graves são raras, principalmente no exame diagnóstico. Quando ocorrem, costumam estar relacionadas a retirada de lesões grandes, resultando em sangramento ou perfuração do intestino, podendo necessitar de tratamento cirúrgico. Por ser um exame complexo, demanda de especialistas treinados e equipamentos adequados para a realização adequada da mesma.

Quando repetir o exame?

Não existe regra para repetir o exame: tudo depende do que for encontrado no exame anterior. Caso seja normal, o próximo exame para rastreio deve ser realizado em 5 a 10 anos. Em caso de pólipos ou outros achados, este tempo diminui.