A Cirurgia da Obesidade, também chamada de Bariátrica e Metabólica é popularmente conhecida como Cirurgia de Redução de Estômago. Esse procedimento é um método muito eficiente para o tratamento da obesidade mórbida por ser eficiente para o paciente que precisa perder o excesso de peso.

Os pacientes indicados para realizar a Cirurgia Bariátrica são aqueles que têm Índice de Massa Corpórea (IMC) igual ou maior que 40, e também aqueles com IMC entre 35 e 40, quando desenvolveram doenças causadas pela obesidade (co-morbidades).

No Brasil são autorizadas a realização de quatro modalidades de cirurgia bariátrica e metabólica (além do Balão Intragástrico, que não é considerado procedimento cirúrgico):

Bypass Gástrico (gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”)

Essa é a técnica mais praticada no Brasil, correspondendo a 75% das cirurgias realizadas, devido à segurança e, principalmente, à eficácia. O paciente submetido à esta modalidade de cirurgia perde de 70 a 80% do excesso de peso inicial.

O procedimento consiste no grampeamento de parte do estômago para redução do espaço para o alimento, e é feito também um desvio do intestino inicial, que promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. A menor ingestão de alimentos e o aumento da saciedade são os fatores que levam ao emagrecimento e como consequência, controlam o diabetes e outras doenças, como a hipertensão arterial.

Curiosidade: a costura do intestino que foi desviado fica com formato parecido com a letra Y, daí a origem do nome. Roux é o sobrenome do cirurgião que criou a técnica.

Gastrectomia Vertical

Também conhecida como cirurgia de Sleeve ou Gastrectomia em Manga de Camisa, esse procedimento é considerado restritivo e metabólico, e nele o estômago é transformado em um tubo com capacidade de 80 a 100 mililitros de alimentos.

Essa intervenção também provoca uma boa perda de peso e como consequência, melhora nos resultados de exames de colesterol e triglicerídeos, além de controle da hipertensão.

Duodenal Switch

Esse procedimento é a associação entre a Gastrectomia Vertical e o Desvio Intestinal. Nessa cirurgia, 60% do estômago são retirados, porém a anatomia básica do órgão e sua fisiologia de esvaziamento são mantidas. O Desvio Intestinal reduz a absorção dos nutrientes. Essa técnica pode levar à perda de 75 a 85% do excesso de peso inicial.

Mais informações

  • Na maioria dos casos, o ganho de peso ocorre quando o paciente não têm hábitos saudáveis de dietas menos calóricas e não pratica atividades físicas regularmente.
  • A perda mais significativa de peso após a Cirurgia Bariátrica é verificada nos seis primeiros meses, por isso a importância do paciente seguir com disciplina as recomendações médicas.
  • A paciente é liberada para engravidar sem riscos após 15 meses da cirurgia. Durante esse período, é recomendada a anticoncepção, que deverá ser avaliada em conjunto com um médico Ginecologista.
  • Não existe uma tendência à depressão, mas caso seja identificado, o caso precisa ser investigados por psicólogo ou médico Psiquiatra.
  • Há tendência à anemia no pós-operatório.
  • Normalmente não há reações adversas ao consumo de leite e derivados. Esses alimentos são, inclusive, recomendados, sobretudo para as mulheres, como fontes de cálcio.
  • Paciente que sofre de gastrite pode ser operado.
  • Nem sempre é necessário fazer cirurgia plástica após o procedimento bariátrico. Cada caso deve ser avaliado criteriosamente pela nossa equipe multidisciplinar responsável pelo tratamento.

Dúvidas sobre esse tipo de procedimento?

Tem mais dúvidas? Lembre-se de procurar seu médico e discuta com ele sobre os procedimentos que podem melhorar sua qualidade de vida.