Muitas pessoas já ouviram falar sobre a esteatose hepática, comumente chamada gordura no fígado, mas ficam em dúvida sobre seu desenvolvimento, evolução e principalmente, o tratamento. O gastroenterologista do Gastro Medical Center, Nelson Silveira Cathcart Junior explica que uma das primeiras abordagens que deve ser esclarecida ao paciente é que a doença hepática gordurosa antes de ser atribuída somente à obesidade, deve levar em consideração o consumo de álcool por parte do indivíduo. Pacientes que consumem mais de 30 gramas de álcool por dia (homens) e 20 gramas (mulheres) têm maior risco para o diagnóstico de doença hepática alcoólica.

A doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) deve ser correlacionada com a síndrome metabólica (que compreende os diagnósticos de obesidade, hipertensão arterial, diabetes e dislpidemia), condição muito frequente na população ocidental. “A DHGNA é atualmente a doença mais comum a acometer o fígado, chegando até 46% nesta população. Uma dieta hipercalórica, excesso de gorduras saturadas, carboidratos refinados, bebidas açucaradas (principalmente refrigerantes), ingestão elevada de frutose são associados ao excesso de peso, obesidade e, mais recentemente, à doença hepática gordurosa não alcoólica”, explica Nelson.

O gastroenterolgosista comenta que é comum os pacientes receberem este diagnóstico após terem realizado uma ultrassonografia de abdômen muitas vezes de rotina, e ficarem surpresos com o diagnóstico, uma vez que não apresentam nenhum sintoma. A grande maioria dos pacientes é assintomática e na presença de sintomas como dor abdominal, fraqueza, cansaço, icterícia (quando os olhos e pele ficam amarelados), dentre outros, deve-se prontamente procurar um médico ou emergência para investigação de hepatite aguda.

Com grandes avanços nos estudos das doenças do fígado pode-se entender que a DHGNA tem um potencial de causar inflamação nas células hepáticas e esta evoluir para fibrose, que em graus avançados é denominada cirrose (mesmo em pacientes que nunca beberam álcool).

O principal tratamento da esteatose é a perda de peso indicada com dietas com baixa quantidade de gorduras saturadas e carboidratos refinados, além de atividade física regular, especialmente do tipo aeróbica (pelo menos 30-40 minutos,  quatro vezes por semana).

“Algumas opções de tratamento com medicamentos estão disponíveis para casos específicos, baseados nos exames de laboratório, imagem e biópsia hepática. Assim sendo, não negligencie a esteatose, procure seu médico. ”, conclui Nelson Silveira Cathcart Junior.

**************************
Gastro Medical Center

Telefone: (48) 3030 2930
Whatsapp: (48) 3030 2930
E-mail: atendimento@gastromedicalcenter.com.br
Website: gastro.floripa.br

Faça contato para saber sobre planos de saúde e formas de pagamento.

Diretor Técnico: Dr. Silvio Feiber Filho – CRM/SC 7843 – RQE 6243

Conteúdo meramente informativo, não devendo ser
utilizado para realizar diagnósticos ou tratamentos.
Consulte um médico em caso de dúvidas.

Diretor Técnico: Dr. Silvio Feiber Filho
CRM/SC 7843 RQE 6243
Feito para você de ❤ Políticas de privacidade